Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Home

Regimento Deodoro

Publicado: Quarta, 24 de Fevereiro de 2016, 19h02 | Última atualização em Terça, 10 de Janeiro de 2017, 10h47 | Acessos: 3582

Em 20 de janeiro de 1918, com a presença maciça da população ituana, o Pavilhão Nacional foi hasteado pela primeira vez na fachada do quartel. O Regimento aqui se instalou com um contingente de apenas 29 homens, sob o comando do Ten Cel Raphael Clemente Telles Pires, sendo esta a data considerada como aniversário da Unidade.Em 1919, recebeu a denominação de 4º Regimento de Artilharia Montada (4º RAM), tendo participado da Revolução Constitucionalista de 1932. Em setembro de 1942, quando vivíamos os dias amargos da II Guerra Mundial, o 4º RAM deslocou-se via férrea até o Rio de Janeiro, com o efetivo de guerra do seu 2º Grupo.Nessa ocasião, escoltado por embarcações e aviões militares, seguiu a bordo do navio Almirante Alexandrino para a cidade de Recife-PE. Em seguida, deslocou-se para Maceió-AL, a fim de cumprir missão de guerra. O Regimento, destacado em Pontal do Coruripe e Porto de Pedras, manteve-se em condições plenas de defender o nosso território e rechaçar o inimigo estrangeiro. Cabe ainda ressaltar que militares do 2º Grupo do 4º RAM embarcaram para a Itália, integrando a Força Expedicionária Brasileira.Em 1948, o 4º RAM passou a se chamar 2º Regimento de Obuses 105. Dois anos mais tarde, cm 1948, recebeu a denominação histórica de REGIMENTO DEODORO, por solicitação da própria comunidade ituana ao Presidente da República. O nome destina-se a homenagear o Marechal Manuel Deodoro da Fonseca, que proclamou a República, pois a cidade de Itu foi um dos berços dos pensamentos republicanos.

Em 1972, este velho Regimento, teve suas paredes centenárias estremecidas ante o peso das lagartas e a majestade do novo material que constituiria seu equipamento: o Obuseiro Autopropulsado l05mm M 108. Cinco anos mais tarde, em 1977, a Unidade recebeu a denominação de 2º Grupo de Artilharia de Campanha Autopropulsado, ficando-lhe adida a 11ª Bateria de Artilharia Antiaérea. Em 1º de março de 2005, fruto da reestruturação da Força Terrestre, o Regimento Deodoro foi renomeado como 2º Grupo de Artilharia de Campanha Leve. Seu material passou a ser o moderno e versátil obuseiro Otto Melara, de 105 mm.

Em 20 de janeiro de 2008, o Regimento comemorou seus 90 anos em Itu. Esteve presente à cerimônia o Marechal Waldemar Levy Cardoso, que na época estava com 107 anos de idade.

O Quartel de Itu participou ativamente de recentes operações de pacificação do Exército Brasileiro. Nos anos de 2010 e 2012 integrou as forças de pacificação do complexo da Penha e do Alemão, no Rio de Janeiro para combater o narcotráfico que se a tempo se instalou na região. Em 2014, integrou novamente a Força de Pacificação do Rio de Janeiro, nas operações no Complexo da Maré.

Em 2013, o Regimento Deodoro realizou sua primeira missão internacional ao participar do 19º Contingente do batalhão Brasileiro de Força de Paz (BRABAT) das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (MINUSTAH). Em seis meses, 96 militares participaram efetivamente de operações para a reestruturação do país mais pobre da América Latina.

Em 2014, após 37 anos, a 11ª Bateria de Artilharia Antiaérea deu adeus ao Regimento Deodoro ao ser transferida para a guarnição de Ponta Grossa-PR. Ela é agora subordinada à 5ª Brigada de Cavalaria Blindada.

Diante de todos esses fatos históricos, pode-se afirmar o quanto é tradicional esta Unidade, tanto no ensino quanto no trabalho militar. Ao longo de sua existência, o Regimento Deodoro tem sido um celeiro na forja do caráter da juventude, que entra pelos seus portões como um aglomerado de homens e deles sai com a formação correta e distinta de SOLDADO DO EXÉRCITO BRASILEIRO.

registrado em:
Fim do conteúdo da página